Saiba mais sobre o tratamento inicial da dor lombar

Tratamento inicial da dor na coluna

Muitas opções de tratamento para dor lombar podem ser adaptadas às necessidades de cada paciente. Os tratamentos iniciais incluem cuidados administrados em casa, medicações, fisioterapia, cuidados alternativos ou mesmo cirurgia.

Dependendo do diagnóstico do paciente, alguns tratamentos podem ser mais eficazes do que outros. Geralmente uma combinação de tratamentos é a melhor alternativa.

Autocuidado na dor lombar

Cuidados básicos tomados em casa podem ser eficazes no tratamento de dores leves ou agudas de distensão muscular, bem como na redução dos efeitos da dor crônica e intensa. O autocuidado é feito pelo próprio indivíduo e pode ser facilmente ajustado. Esses métodos incluem:

Período curto de descanso

Muitos episódios de dor lombar podem ser melhorados evitando-se atividades extenuantes por períodos curtos – até 2 dias de repouso relativo são suficientes. Não é aconselhável descansar por mais do que alguns dias, pois o excesso de inatividade pode tornar a cicatrização mais difícil.

Modificação de atividade

Uma variante do repouso é permanecer ativo, mas evitar atividades e posições que agravam a dor. Por exemplo, se ficar sentado por longos períodos no carro ou na mesa piorar a dor, defina um cronômetro para se levantar a cada 20 minutos e caminhar ou se alongar suavemente. Se ficar em pé piorar a dor, evite tarefas que exijam ficar em pé, como lavar louça na pia. Evitar ou minimizar atividades e posições que piorem a dor ajudará a prevenir ou reduzir os espasmos dolorosos nas costas e possibilitará um ambiente de cura melhor.

Terapia de calor / gelo

O calor de um banho morno, bolsa de água quente, almofada de aquecimento elétrica ou envoltórios térmicos químicos ou adesivos podem relaxar os músculos tensos e melhorar o fluxo sanguíneo. O aumento do fluxo sanguíneo traz nutrientes e oxigênio que os músculos precisam para se curar e se manter saudável. Se a região lombar doer devido à inflamação, compressas de gelo ou água gelada podem ser usadas para reduzir o inchaço. É importante proteger a pele ao aplicar calor ou gelo para evitar danos aos tecidos. A aplicação de calor ou gelo age também “enganando” a dor, pois as fibras transmissoras de dor são as mesmas que transmitem sensação de temperatura, o que causa um “congestionamento” nas sensações e fazem com que a sensação de calor ou frio se sobreponham à sensação de dor.

Alternar calor e gelo pode ser especialmente útil ao retornar à atividade: aplicar calor antes das atividades ajuda a relaxar os músculos, permitindo uma melhor flexibilidade e mobilidade; a aplicação de gelo após a atividade reduz as chances de uma área ficar irritada e inchada devido ao exercício.

Medicamentos de venda livre para a dor

Os medicamentos de venda livre mais comumente usados na dor são a dipirona, paracetamol, ibuprofeno, naproxeno e outros. Ibuprofeno e naproxeno são medicamentos antiinflamatórios que aliviam a dor lombar causada por nervos ou músculos inflamados. A dipirona e paracetamol são medicações da classe dos analgésicos e antipiréticos (antitérmicos) que atuam interferindo nos sinais de dor enviados ao cérebro.

O autocuidado em casos de dores agudas geralmente não requer orientação de um médico, mas devem ser usados com cuidado e atenção. Se a dor se prolongar por mais do que uma semana, ou houver qualquer sinal de alarme [link para sinais de alarme], o indivíduo deve procurar orientação médica imediatamente. Qualquer tipo de medicamento acarreta possíveis riscos e efeitos colaterais, se o paciente não tiver certeza de quais tipos de autocuidado funcionam melhor para seu caso, é aconselhável conversar com um médico.

Exercícios para dor lombar

A fisioterapia geralmente faz parte de um regime básico inicial de tratamento da dor lombar. Os tipos de exercícios usados para reabilitar a coluna incluem:

Alongamento

Quase todas as pessoas podem se beneficiar com o alongamento dos músculos da região lombar, nádegas, quadris e pernas (especialmente os músculos isquiotibiais). Esses músculos suportam o peso da parte superior do corpo. Quanto mais móveis esses músculos são, mais as costas podem se mover sem lesões. Normalmente é aconselhável começar devagar – alongue por 20 a 30 segundos e pare o alongamento se ele causar dor.

Exercícios de fortalecimento

O fortalecimento dos músculos abdominais, das costas, do quadril e dos glúteos que sustentam a coluna, também chamados de músculos centrais, pode ajudar a aliviar a dor lombar. Dois programas comuns são o método McKenzie e a Estabilização Lombar Dinâmica.

O método McKenzie atua através do desenvolvimento dos músculos centrais, melhorando a sustentação da coluna, reduzindo as dores causadas por sobrecarga na sua estrutura.

A Estabilização Lombar Dinâmica fortalece os músculos das costas para manter a “coluna neutra” do paciente ou a postura mais confortável.

Atividade aeróbica de baixo impacto

O exercício aeróbico de baixo impacto estimula a musculatura postural, aumenta o fluxo sanguíneo e auxilia na recuperação de uma lesão sem machucar a coluna. A atividade aeróbica de baixo impacto pode incluir a caminhada,hidroterapia, aparelhos elípticos ou de “step”. Pessoas com dor lombar que fazem exercícios aeróbicos regularmente relatam menos episódios recorrentes de dor e são mais propensos a permanecer ativos e funcionais quando a dor aumenta.

Qualquer exercício que eleve a frequência cardíaca por um período prolongado de tempo beneficia o corpo. A atividade física regular é importante para manter a amplitude de movimento e a flexibilidade de uma coluna vertebral saudável. Quando as estruturas da coluna não são utilizadas por muito tempo, a rigidez e o desconforto podem piorar.

É importante notar que se a atividade física levar à piora da dor, esta deve ser interrompida imediatamente e um médico deverá ser consultado.

Esse texto tem o objetivo trazer informação de qualidade e de fácil compreensão para o público leigo, não tem cunho científico e não se trata de recomendação terapêutica. A melhor forma de tirar suas dúvidas é conversando com seu médico.

Deixe seu comentário

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *