71 4042-1334 [email protected]

Entenda as causas da dor lombar

Quais são as causas das dores na coluna lombar?

Problemas mecânicos e lesões nos tecidos moles são as causas mais comuns da dor lombar. Essas lesões podem incluir danos aos discos intervertebrais, compressão das raízes nervosas e inflamação ou movimento impróprio das articulações da coluna vertebral.

A causa isolada mais comum de dor lombar é uma contratura muscular e / ou distensão de ligamentos associada a sobrecarga ou má postura, e costuma se resolver em menos de 4 a 6 semanas (dor aguda) com tratamento adequado.

Contratura muscular e distensão de ligamentos

Uma contratura ou distensão lombar pode acontecer repentinamente ou se desenvolver lentamente com o tempo devido a movimentos repetitivos.

  • As contraturas ocorrem quando um músculo é tensionado demais e se rompe, danificando suas fibras.
  • As distensões acontecem quando o alongamento excessivo e a ruptura afetam os ligamentos, que conectam os ossos.

Para fins práticos, não importa se o músculo ou ligamento está danificado, pois os sintomas e o tratamento são os mesmos.

As causas comuns de contratura ou distensão incluem:

  • Levantar um objeto pesado ou torcer a coluna durante o levantamento
  • Movimentos repentinos que colocam muito estresse na região lombar, como uma queda
  • Má postura ao longo do tempo
  • Lesões esportivas, especialmente em esportes que envolvem torção ou grandes forças de impacto

Embora as contraturas e distensões não pareçam graves e não causem dor de longa duração, a dor aguda pode ser bastante forte.

Causas da dor lombar crônica

A dor é considerada crônica quando dura mais de três meses e excede o processo natural de cura do corpo. A dor crônica na região lombar geralmente envolve um problema relacionado a estruturas profundas da coluna como o disco intervertebral, as articulações da coluna e quadril, e / ou uma raiz nervosa irritada. As causas mais comuns incluem:

  • Hérnia de disco lombar. O centro gelatinoso de um disco lombar pode romper a dura camada externa e se insinuar para dentro do canal vertebral causando irritação de uma raiz nervosa próxima. A porção herniada do disco está cheia de proteínas estranhas ao ambiente da raiz, o que causa inflamação e dor, pode haver também compressão nervosa mecânica direta pela hérnia, causando dor na raiz nervosa. A parede do disco também é ricamente suprida por fibras nervosas e um rasgo ou fissura nesta é frequentemente causa de dor repentina e intensa.
  • Doença degenerativa do disco. Na infância, os discos intervertebrais estão cheios de água e no seu estado mais saudável. Conforme as pessoas envelhecem, os discos perdem a hidratação e se desgastam. À medida que o disco perde a hidratação, ele também começa a perder elasticidade e capacidade de transferir forças da parede do disco, o que pode levar a rupturas, causando dor lombar e enfraquecimento maior na sua parede, que pode futuramente levar ao desenvolvimento de uma hérnia de disco. O disco também pode colapsar (desabar/achatar) e contribuir para a estenose do canal lombar.
  • Disfunção da articulação facetária. Existem duas articulações facetadas atrás de cada disco em cada segmento de movimento da coluna lombar. Essas articulações possuem cartilagem entre os ossos e são circundadas por um ligamento capsular, que é ricamente suprido por pequenos nervos. Essas articulações podem se tornar desgastadas ou inflamadas e doer por si mesmas, ou em conjunto com a dor no disco,
  • Disfunção da articulação sacroilíaca. A articulação sacroilíaca conecta o osso sacro, que é a base ou parte inferior da coluna, a cada lado da pelve. É uma articulação forte e de baixo movimento que absorve principalmente o choque e a tensão entre a parte superior e inferior do corpo. A articulação sacroilíaca pode ficar dolorida se ficar inflamada (sacroileíte) ou se houver desgaste anormal da articulação.
  • Estenose espinal. Essa condição causa dor devido ao estreitamento do canal espinhal, onde as raízes nervosas estão localizadas. O estreitamento pode ser central, foraminal ou ambos, e pode ser em um único nível ou em vários níveis na coluna.
  • Espondilolistese. Essa condição ocorre quando uma vértebra desliza sobre a adjacente. Existem 5 tipos de espondilolistese, mas as mais comuns são secundárias a um defeito ou fratura da pars interarticularis (segmento da vértebra entre as articulações facetárias de cada lado) ou instabilidade mecânica das articulações (degenerativa). A dor pode ser causada por instabilidade (costas) ou compressão dos nervos (perna).
  • Osteoartrite ou artrose. Esta condição resulta do desgaste do disco e das articulações. Causa dor, inflamação, instabilidade e estenose em graus variáveis ​​e pode ocorrer em um único nível ou em vários níveis da coluna vertebral. A osteoartrite está associada ao envelhecimento e é lentamente progressiva. Também é conhecida como espondilose ou espondiloartrose.
  • Deformidade. As deformidades da coluna incluem a escoliose e a cifose. A deformidade pode estar associada à dor lombar se levar à ruptura dos discos, articulações facetárias, articulações sacroilíacas ou estenose.
  • Trauma. Fraturas agudas ou luxações da coluna podem causar dor. A dor lombar que se desenvolve após um trauma, como após um acidente automobilístico ou após uma queda, deve ser avaliada criteriosamente.
  • Fratura por compressão. Uma fratura que ocorre no corpo vertebral, na qual o osso essencialmente desaba sobre si mesmo, pode causar dor repentina. Esse tipo de fratura é mais comum devido a condições que causam fraqueza nos ossos, como a osteoporose, e é mais comum em pessoas mais idosas.

É importante observar que a presença de uma ou mais dessas condições não significa necessariamente que essa seja a causa da dor. Por exemplo, osteoartrite ou doença degenerativa do disco podem aparecer em um estudo de imagem, mas a pessoa pode não sentir nenhuma dor. Por isso é importante que o paciente passe por uma avaliação clínica cuidadosa para tentar definir a causa da dor.

Causas menos comuns de dor lombar

Embora consideravelmente menos comuns, a dor lombar também pode ser causada pelas seguintes condições:

  • Infecção. Também chamada de osteomielite ou espondilodiscite, uma infecção da coluna vertebral é incomum, mas também pode causar dor intensa e necessita de tratamento prolongado. Pode ser causado por procedimentos cirúrgicos, infecções em outras partes do corpo, ou ter origem desconhecida. Pacientes com sistema imunológico comprometido são mais suscetíveis a desenvolver uma infecção na coluna vertebral.
  • Tumor. A maioria dos tumores da coluna começa em outra parte do corpo e metastatiza para a coluna. Os tumores mais comuns que se espalham para a coluna vertebral são o câncer de mama, próstata, rim, pulmão e tireóide. Quaisquer novos sintomas de dor nas costas em um paciente com diagnóstico conhecido de câncer devem ser avaliados para possível metástase espinhal.
  • Doença auto-imune. A dor nas costas é um possível sintoma associado a doenças autoimunes, como espondilite anquilosante, artrite reumatóide, lúpus, doença de Crohn, fibromialgia e outras.

Esta lista inclui as causas mais comuns de dor nas costas. Encontrar o tratamento ideal para a dor lombar geralmente depende de um diagnóstico clínico correto e identificação da causa destes sintomas. Para isso, um exame clínico minucioso acompanhado de exames complementares adequados e por vezes procedimentos diagnósticos, é essencial no processo.

Esse texto tem o objetivo trazer informação de qualidade e de fácil compreensão para o público leigo, não tem cunho científico e não se trata de recomendação terapêutica. A melhor forma de tirar suas dúvidas é conversando com seu médico.

Deixe seu comentário

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *